Thursday, August 15, 2013

Apocalipse zumbi

Bob tinha pontaria perfeita. Conseguia acertar a cabeça de uma pessoa ou zumbi em movimento mesmo a dezenas de metros de distância. Isso nos seus jogos de videogame favoritos. Na vida real nunca chegou a ver uma arma de fogo pessoalmente. Morreu enquanto sua irmã mais nova, ou o que restava dela, mastigava seu pescoço.

Jules devorava filmes de zumbis. Havia assistido de tudo, desde os mais leves aos mais grotescos. Decorara elencos, falas, diretores e curiosidades. Sempre se atentara a tudo, menos à tendência dos personagens mais magros de terem uma expectativa de vida maior. Exausto após um pique de trinta e poucos metros, foi alcançado por um bando de mortos-vivos.

Roberta era loira, linda, vivia rodeada de amigos e sempre frequentava festas. Em seu passado havia sido uma nerd escoteira e por este e alguns outros motivos como suas gordurinhas não havia tido muitos amigos na infância, porém conforme crescia os meninos deixaram de persegui-la para fazer piadas e começaram a persegui-la para conseguir um encontro. Roberta sobreviveu à infestação e à primeira leva de zumbis de sua cidade, mas não sobreviveu por tanto tempo pois seus conhecimentos de construção de acessórios para beber cerveja e fumar maconha já não eram tão úteis. Como fazia falta lembrar o modo exato de se fazer um torniquete!

E assim, entre conhecimentos acumulados e não empregados, todos morreram. Todos estes citados anteriormente. Todd, militar em treinamento na época da disseminação do vírus, tinha ouvido falar de zumbis apenas brevemente. Não entendia nada do assunto, mas conhecia o que era essencial à sua sobrevivência: onde arranjar comida, bebida e formas de defesa. Aprendeu a lidar com os zumbis apenas mais tarde e, graças à sua capacidade de adaptação, realizou a façanha de morrer de velhice num mundo devastado pela doença.

No comments:

Post a Comment